14 de outubro de 2016

#ENTREVISTA com Daniele Da Mata, criadora da primeira Escola Itinerante de Maquiagem para Pele Negra

por Rafael Vasconcelos

14563451_942531805890549_5548198164755412452_n

Dani da Mata, nome por trás do Projeto Negras do Brasil – Escola Itinerante de Maquiagem para Pele Negra.

Começamos uma série de entrevistas especiais com nomes pungentes da atualidade. São mulheres negras que estão fazendo a diferença no cenário nacional através da sua visão de arte, estética e moda. E começamos com Daniele da Mata é o nome por trás do DaMata Makeup, uma escola itinerante de maquiagem para pele Negra. Com muita naturalidade e carisma a maquiadora natural de Araraquara compartilha momentos de diversão e conhecimento pessoal como alavanca para a autoestima de todas as mulheres. E desembarca em Salvador agora em outubro com o projeto Negras do Brasil. E todas sextas feiras até o final de outubro terão outras entrevistas. Fiquem ligados.

Então vamos começar essa entrevista!
DaMata, conte um pouco da sua história e relação com a maquiagem, como você começou a gostar desse universo e decidiu tornar sua profissão?

 

Eu sempre fui uma menina tímida, pode parecer loucura dizer isso hoje neh? Mas sim! Era mais discreta, sou canceriana então sempre fui chorona demais. Minha infância e adolescência foram tranquilas até a página da Autoestima, lembro-me de me sentir muito feia e achar que ninguém gostava de mim. Aos 15 anos consegui um estágio em uma fábrica de terceirização de cosméticos e lá aprendi tudo, mas tudo mesmo que sei sobre maquiagem. Quando se passou cinco anos dentro desta empresa me despertou a vontade de fazer algo diferente e que garantisse o meu sustento, pois já tinha minha casa e responsabilidades para cumprir, quando me questionaram o que mais sabia fazer eu disse sem hesitar maquiagem, e pronto ali eu percebi que ser maquiadora poderia ser um caminho para fazer o que eu realmente gostava.

 

As bonecas da Dani são puro empoderamento e representatividade.

As bonecas da Dani são puro empoderamento e representatividade.

O feminismo é algo que anda em paralelo com o seu trabalho, o quão importante foi ou é no seu trabalho e na vida pessoal?

Eu sou feminista!

Conheci com 16 anos uma ONG que se chama Promotoras Legais Populares, é um grupo que tem no Brasil todo que sua missão é capacitar e formar mulheres para que elas saibam dos seu direitos. Lembro que só quis fazer porque sempre quis ser advogada e tinha aula de legislação que eu queria muito fazer, mas o PLP me tornou uma cidadã, uma jovem que sabia como agir caso sofresse abuso ou violência doméstica, me fez descobri feminista. E a DaMata é reflexo de que eu me tornei pois foi um processo muito próximo, hoje tento cada vez mais colocar em pauta e aproximar as minhas alunas para este universo.

Afinal somos todas feministas.

Quão importante é a maquiagem no processo de empoderamento?

 

Ter o autoconhecimento e auto aceitação eu acredito que são processos do  empoderamento, com o tempo eu percebi que se eu quisesse dialogar com mulheres negra e falar de autoestima a maquiagem seria uma grande aliada, o que acontece em aula não é só técnicas de maquiagem e sim um relação que elas criam umas com as outras de abraço só de ouvir ou ver que a outra também sofre com alguma questão. O empoderamento através da estética é o caminho para mim de combater paradigmas que foi imposto há muitos anos para as mulheres negras deste país.

 

Dani em ação.

Dani em ação.

Quando surgiu o projeto itinerante do Negras do Brasil e a DaMata Make-up, que não possuem um espaço físico, mas acontece em diversos lugares?

 

A DaMata Makeup nasceu em 2013 em um espaço lindo e cor rosa na cidade de São José dos Campos lá comecei a ministrar cursos pequenos e divulgava nas redes sociais e mulheres de outras cidades começaram a pedir a oficina e resolvi arriscar e fizemos em São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador em parceria com a Michelle Fernandes da Boutique de Krioula com oficinas de turbante e confesso que foram turmas inesquecíveis. Quando voltei de Salvador resolvi escrever o Projeto Negras do Brasil e desta vez eu queria passar por todos estados Brasileiros e por fim me planejei durante um ano pra nascer o Negras em 2015.

Hoje em dia vemos que há uma variedade de produtos para peles negras que não se via. Na sua percepção como essa mudança está ocorrendo nesse setor tão grande que é a indústria da beleza?

Temos um avanço não podemos negar, mas acredito que a indústria precisa de fato conhecer estas mulheres negras para atingir uma cartela de cores maiores.

A bancada cheias de produtos para pele negra.

A bancada cheias de produtos para pele negra.

Você foi responsável por assinar a beleza do desfile “Dandaras do Brasil”, do Isaac Silva, na casa de Criadores com um casting em sua maioria negro, nos conte como foi essa experiência?

Quando Isaac me convidou eu nem acreditei, nunca tinha feito desfile e muito menos assinado uma beleza não era experiente, mas tinha certeza que era capaz e assinei a beleza da maneira que eu achava coerente para todos da minha equipe e acredito que isso foi o diferencial do trabalho. Isaac me deixou totalmente livre para criar, fiquei muito orgulhosa de fazer parte de um momento importante na carreira dele e da Casa de Criadores.

 

Dani assinou a beleza para o nosso conterrâneo, Isaac Silva, para a coleção "Dandaras do Brasil".

Dani assinou a beleza para o nosso conterrâneo, Isaac Silva, para a coleção “Dandaras do Brasil”.

 

Dani, você fez parte da turnê Salada das Frutas como maquiadora oficial dx Liniker e os Caramelows e da Tássia Reis, como é que fluiu esse processo?

Foi um bafo sem fim, como já maquio a Tássia um tempo e a beau Liniker me senti à vontade para desenvolver o job, O Samuel o maquiador que assinou a beleza com a Avon deixou em dar sugestões o maior desafio era que tínhamos que mostrar que com produtos acessíveis é super possível fazer uma bela maquiagem.

 

Dani tem relação muito próxima com dois expoentes da música brasileira na atualidade: Liniker e Tássia Reis

Dani tem relação muito próxima com dois expoentes da música brasileira na atualidade: Liniker e Tássia Reis

Nessas andanças pelo Brasil quais foram as experiências mais marcantes para você?

Nossas são muitas, fora eu ter caído a caminho da rodoviária e quase quebrado o queixo (risos), eu me emocionei muito quando percebi que muitas alunas se deslocavam de cidades de quase 4 horas de viagem para participar do meu projeto. Esta experiência eu nunca mais vou esquecer.

Percebo que a uma rede de suporte entre você e outrxs criativxs negrxs, explica para gente como funciona e qual a importância disso para o fortalecimento de vocês no mercado?

Utilizar uma roupa, cosmético, turbante, brincos de um afroempreendedor negro também é uma forma de empoderamento eu sempre quero ter estas pessoas por perto. A Loo Nascimento do Dresscoracao é um exemplo disso, pois há muito tempo ela vem me acompanhando e fazendo o projeto Negras do Brasil dela também. E ver que outras pessoas estão fortalecendo para o crescimento não só de do meu trabalho e sim de acreditar em uma mudança necessária.

Dani e uma de suas noivas: A Ju que saiu do Rio de Janeiro para se casar em SP e convidou a Dani para Maquiá-la.

Dani e uma de suas noivas: A Ju que saiu do Rio de Janeiro para se casar em SP e convidou a Dani para Maquiá-la.

Você tem um projeto muito maravilhoso com Noivas, conta para gente o que ele é, como ele funciona, a importância que tem para você e para as noivas as quais você maquiou?

Eu amo minhas noivas! Eu percebi que também tem um limbo neste setor para noivas Negras e resolvi apostar neste segmento, hoje 80% das minhas noivas são Negras e tenho maior carinho e respeito por elas acreditarem no meu trabalho.

 

E a lojinha DaMata, como surgiu a ideia em meio ao processo?

A lojinha da DaMata nasceu devido a muitos garimpos que faço para encontrar produtos para pele Negra então resolvi dividir isso com minhas alunas, como é garimpo as vezes tem muitos produtos e de repente acaba tudo. Tento sempre deixar na lojinha produtos diferente como o batom Raio Lazer que é o preto que muitas mulheres negras tinham muito medo dentre outras cores.

Dani e sua fiel escudeira, a soteropolitana Loo Nascimento do Dress Coração.

Dani e sua fiel escudeira, a soteropolitana Loo Nascimento do Dress Coração.

 

Também não podemos esquecer-nos do seu modo de se vestir, fale um pouco como você escolhe cabelo, roupa e qual mensagem você traz com essa estética?            

O meu hair  AfroCruela tem um só objetivo afrontar ,incomodar a sociedade e inspirar outras mulheres negras a se identificar com seu cabelo crespo ou cacheado. Mas, além disso, gosto de mudar e graças a Amanda Coelho do Divas Cabelos isso é possível ela topa tudo e me ajuda a inovar sempre. Meu estilo sempre veio da influência da minha mãe, ela é muito poderosa e me inspiro muito nela, sempre me ensinou a comprar em brechó peças que traduzem minha personalidade.

Confira uma galeria com alguns looks da Dani:

 

 

E para fechar, qual seria a dica ou conselho que você daria para xs nossxs leitorxs?

A minha dica é que sempre mais sempre se sinta maravilhosa e bonita e não se influencie ou desmotive com o que a sociedade impõe para nós mulheres negras.

 

Ache a DaMata nas redes:

Insta: @damatamakeup

Facebook: DaMata Make-Up

Snap: danieledamata(Snapchat)

Lojinha DaMata: lojinhadamata.iluria.com.br

 

14322618_1034229793341003_150032480647537498_n

E não deixe de se inscrever na Edição Nordeste do Projeto que acontece agora, durante os meses de outubro e novembro a turnê do Projeto Negras do Brasil desembarcará em todas as capitais da região nordeste do país.

As inscrições são realizadas através do link: https://www.sympla.com.br/palestra-de-maquiagem-para-pele-negra—edicao–nordeste__89265

 

Confira a agenda da Turnê Nordeste

Salvador 29/10 (sábado)

Aracaju 28/10 (sábado)

Maceió 31/10 (domingo)

Pernambuco 05/11 (sábado)

João Pessoa 07/11 (segunda-feira)

Natal 09/11 (quarta-feira)

Fortaleza 11/11 (sexta-feira)

São Luís 25/11 (sábado)

Teresina 28/11 (segunda)

 

O Projeto tem formato de palestra, as aulas são para turmas de até 40 pessoas com lotação máxima em todas as cidades por onde o projeto passou. Até o momento cerca de duas mil alunas negras vivenciaram essa experiência. E a palestra é desenvolvida com naturalidade e carisma que a torna dinâmica e divertida. A oficina tem duração de quatro horas nas quais são apresentados os procedimentos técnicos de uma maquiagem ideal, desde a preparação de pele, olhos, boca, escolha das combinações das cores e harmonizações para a pele negra.  A espontaneidade faz com que as aulas sejam 100% práticas com a participação de todas as alunas.

Não deixe de se inscrever <3

Não deixe de se inscrever <3

 

E aguarde nossa próxima entrevista!