07 de fevereiro de 2017

Goóc: Uma história de empreendimento e superação

Por Raf Vasconcelos

O vietnamita Thái Quang Nghiã, criador da Goóc é o nosso entrevistado da semana. E durante a entrevista, o empresário contou um pouco de sua trajetória, como surgiu a ideia de transformar pneus usados em calçados, sustentabilidade e qual a relação com o nosso país continental. Confira:

O que nós conhecemos por sociedade hoje está entrando num colapso, muito se debateu sobre os processos migratórios ao redor do mundo. Conte-nos como foi a sua experiência no Brasil logo após desembarcar por aqui até se tornar um cidadão brasileiro.

Costumo dizer que cheguei cego, surdo e mudo, não conhecia o país, sua língua, não sabia como me comunicar. Lembro-me que foi um dos anos mais gelados que São Paulo já teve, e eu, dormi ao relento na Praça da Sé. Coloquei jornais por dentro da roupa que estava no corpo (únicos pertences) e ali comecei minha jornada no Brasil.

Com o primeiro dinheiro que consegui, comprei um dicionário Inglês / Português e Francês / Português, e comecei a criar meu próprio dicionário, que em 14 meses, possuía cerca de 16.000 verbetes.

 

A marca hoje conta com lojas que vedem todos os itens da Goóc.

Em que momento você teve o insight para empreender e virar dono da sua própria empresa?

Ajudei um amigo emprestando um dinheiro, e quando ele quis me devolver, me pagou com bolsas e máquinas de costura. Recebendo este material, fui às ruas do centro de SP vender meus produtos, e em 15 dias, faturei o dobro do que ganhava no mês sendo bancário. Logo percebi que poderia fazer minhas bolsas e vender elas, então meu negócio começou daí, em 1986.

Você poderia nos contar de onde veio a ideia de produzir sandálias com pneus reciclados e qual foi a receptividade do público e do mercado para esse novo produto?

A ideia veio do meu país de origem, que desenvolveram os primeiros calçados de pneus dos pneus dos carros destruídos na guerra. Quando visitei minha família em 2003 vim com a ideia pré formada de lá, que era devolver ao Brasil um produto que ajudasse o país, assim como o país me ajudou.

A marca produz bolsas, calçados e acessórios.

Qual a sua impressão sobre esse país continental que é o Brasil, você já conheceu quais estados?

O Brasil é maravilhoso! No começo ficava com ciúmes de alguém possuir um país com tanta diversidade cultural, de fauna e flora. O Brasil é maravilhoso! Mas logo que minha primeira filha nasceu, disse a ela que este era o maior presente que poderia dar a ela, que era ser parte de um povo tão bonito e de um lugar tão deslumbrante.

Conheço quase todos os estados, faltando apenas Rondônia, Roraima e Acre; locais que ainda não tive a oportunidade de estar presente.

Thai já esteve em boa parte do nosso país continental.

Por que a escolha por Salvador para testar e lançar o seu novo produto: o Supera?

Porque Salvador para mim é a capital que mais se destaca no país, das pessoas de mente aberta e que aceitam experimentar o novo. Capital da literatura, da arquitetura, de gente do bem, que recebe as pessoas de braços abertos, um povo quente que não questiona origens, mas abraçam causas.

Como é o processo de criação/pesquisa para o desenvolvimento de cada produto?

O processo é realizado através da equipe comercial da marca, os nossos ANJOS, jeito que chamamos os vendedores, devem cuidar de seus clientes, e junto a eles, buscam informações de necessidades, de produtos mais buscados, de características que eles gostariam de ver numa marca. Este sistema funciona na região de SP, que é à base de nosso lançamento nacional.

Muitas marcas utilizam da sustentabilidade como um rótulo para agregar valor ao seu produto, a Góoc sempre trouxe o tema como filosofia da marca. Como você fez para criar um produto com design desejável num produto que não somente conta uma história, mas realmente é um produto sustentável, no qual tenta diminuir impactos ambientais de uma forma que parece ser mais real e efetiva?

O principal objetivo da Goóc, que significa RAIZ em português, é trazer para o Brasil tudo o que ele me trouxe de bom na vida. Sempre pensei em ter mais do que uma empresa, a minha ideia original era deixar algo para os brasileiros, que marcassem suas vidas e histórias, e verificando que produzimos mais de 500.000.000 de chinelos ao ano e mais de 70.000.000 de pneus, pensei que nada melhor que juntar as duas ideias pra devolver algo de relevância a este povo tão carinhoso.

O modelo Supera que teve seu lançamento na nossa cidade: Salvador.

Que influencia teve os seus conhecimentos em economia e tecnologia nos processos de sua empresa?

Uma das minhas grandes inspirações foi Anita Roddick da Body Shop, a atuação dela em sua empresa e tudo o que construiu sempre me cativaram e foram alimentos para meu negócio. Já na área de tecnologia, o Brasil possui a Era da Borracha em suas mãos, então podíamos juntos pegar o país com maior conhecimento de vulcanizados e fazer dele o país dos calçados de pneu reciclado.

Há 5 anos a fábrica da Goóc sofreu um incêndio. Como isso influenciou o funcionamento de sua empresa?

Influenciou completamente, perdemos TUDO no incêndio, ele destruiu nossa área fabril, mas ele serviu como grande inspiração pra nossa história, e pra grande relevância da nossa filosofia empresarial e de vida, que é: superação a cada dia.

E por último, há alguma mensagem que você gostaria de deixar para os nossos leitores?

Sim, minha mensagem é exatamente esta: superação a cada dia, não importa quantas coisas sejam contra você, o quanto o seu cotidiano judie de você, você escolhe ser feliz, você escolhe superar a cada dia, você escolhe levantar as mangas e fazer daquele dia, um dia feliz.

Enxergando isto, nosso produto SUPERA vem exatamente com esta mensagem em seu solado, a ideia da SUPERAÇÃO.